Um empréstimo de US$ 60 milhões foi aprovado pela Diretoria Executiva do Banco Mundial para o projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia que visa aumentar a área florestal sob proteção, restauração e manejo sustentável na Amazônia brasileira. Em entrevista, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, avaliou que esse novo empréstimo vai apoiar as ações do governo que se comprometeu em restaurar 12 milhões de hectares de florestas até 2030.


Para cumprir com os seus objetivos, o projeto está estruturado em quatro componentes:
1 - Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) - cujo principal objetivo é consolidar um sistema de 60 milhões de hectares de áreas protegidas e garantir seu financiamento no longo prazo.
2 - Gestão Integrada de Paisagens visando Conectividade - que tem como objetivo o fortalecimento do manejo de florestas em paisagens agrícolas mediante ações de produção sustentável, recuperação de áreas degradadas e promoção de mecanismos inovadores de financiamento.
3 - Políticas e Planos voltados à Proteção e Recuperação da Vegetação Nativa - ênfase será dada ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) e à implementação e validação do Cadastro Ambiental Rural (CAR).
4 - Capacitação, Cooperação Regional e Gestão do Projeto - que dará apoio à capacitação de diversos atores sociais procedentes de diferentes setores e fortalecerá o gerenciamento global do projeto. Esse componente manterá um vínculo direto com o projeto de coordenação regional do Programa ASL.

Amazônia: Um bioma que alcança nove países, com 60% da floresta tropical localizada no norte do Brasil, a Amazônia é a maior floresta tropical pluvial contínua do mundo, cobrindo mais de 4 milhões de quilômetros quadrados. Suas vastas florestas influenciam significativamente o clima regional e global e sequestram cerca de 70 bilhões de toneladas de carbono. Sua diversidade biológica inclui mais de 16 mil espécies de árvores conhecidas e 2.500 espécies de peixes. Cerca de 33 milhões de pessoas habitam a área da bacia amazônica e tiram seu sustento de rios e afluentes, incluindo importantes recursos pesqueiros.

Clique aqui para acessar o documento oficial com informações para o projeto: