De onde virá os recursos para o Brasil cumprir suas propostas de redução de emissões de gases nocivos ao efeito estufa? Para quem acompanha bem de perto a área ambiental e, a agenda política do País, sabe muito bem que é bem pouco provável que estes recursos venham de alguma fonte interna.


Por este motivo foi apresentado em Brasília o evento “Capacitação sobre Financiamento Climático”. O objetivo é promover a busca de ações de financiamento para mitigação da mudança do clima e adaptação a seus efeitos.

A iniciativa ocorre no âmbito do Programa sobre Políticas em Mudança do Clima (PoMuC), implementado por meio da atuação coordenada do Ministério do Meio Ambiente (MMA), do Ministério da Fazenda e da Cooperação Técnica Alemã (GIZ), em parceria com outras instituições.

O objetivo do PoMuC é apoiar áreas selecionadas da Política Nacional sobre Mudança do Clima para que sejam implementadas com sucesso. O Programa atua nos seguintes eixos: Sistema de transparência; Redução das Emissões provenientes do Desmatamento e da Degradação Florestal (REDD+); Adaptação; Fundo Clima; Financiamento; Relato de Emissões e Gestão de conhecimento.

“O evento é de extrema relevância em função do cenário que o Brasil vem enfrentando em termos do desafio de limitar os gastos públicos”, explicou o diretor de Monitoramento, Apoio e Fomento de Ações em Mudança do Clima do MMA, Adriano Santhiago. Em Paris, no ano de 2015, o Brasil propôs reduzir em 37% suas emissões de gás do efeito estufa até 2025 (comparando com o ano de 2005).