Com investimento de U$ 300 milhões foi inaugurada no município de Ribeira do Piauí a maior usina solar da América do Sul com quase um milhão de painéis fotovoltaicos instalados em 690 hectares. A usina possui capacidade para gerar 600 GW por ano de energia elétrica suficiente para abastecer 300 mil casas.


Parte do projeto foi montado com recursos próprios da Enel Green Power Brasil, subsidiária da italiana Enel. A outra parte foi financiada pelo Banco do Nordeste. Em outubro de 2017, o banco divulgou uma nota onde confirma empréstimos de R$ 678,7 milhões para implantação de três parques de energia fotovoltaica da Enel Green Power.

Além de Ribeira do Piauí, a Enel já opera outro parque solar em Bom Jesus da Lapa (Bahia) e um terceiro está previsto em Tabocas do Brejo (também na Bahia). A contra partida da empresa nos três parques foi de U$ 585 milhões.

O parque solar Nova Olinda é apoiado por um acordo de compra de energia (Power Purchase Agreement, - PPA sigla em inglês) de 20 anos com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Do ponto de vista ecológico, o parque solar vai evitar a emissão de 350 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

O governo do Piauí informou que o parque contou com incentivos fiscais de R$ 80 milhões e cerca de 2 mil pessoas foram empregadas na fase de construção. O evento contou com a presença do Governador do Piauí, Wellington Dias; do responsável Global da Enel Green Power, Antonio Cammisecra; e do presidente da Enel no Brasil, Carlo Zorzoli.