Entre 2007 e 2016, o Brasil recebeu um total de U$ 125 bilhões em investimentos na área de energias limpas ou renováveis. O montante de recursos deixa o Brasil atrás apenas da China em investimentos no setor. A informação foi divulgada nesta terça-feira pela Bloomberg New Energy Finance, empresa que analisa os dados de 71 países. (veja tabela com histórico de investimentos na região)


Com os investimentos, o Brasil retorna à posição de liderança na América Latina e Caribe em energias renováveis. O país abocanhou 37% dos investimentos (U$ 198 bilhões) que a região recebeu para energias limpas entre 2007 e 2016. O Brasil havia perdido a liderança para o México.

Na passagem de 2015 para 2016, os investimentos em energia limpa na América Latina e Caribe caíram 32% passando de U$ 23,2 bilhões para U$ 15,7 bilhões. De acordo com o relatório, as licitações dos governos locais para aquisição de energia limpa dá mais segurança para os investidores participarem de novos projetos.

O Brasil possui hoje 149 GW em capacidade instalada para a produção de energia limpa. O relatório avalia que a dimensão territorial do País, a disponibilidade de recursos naturais e as políticas de incentivo mantém o Brasil sempre entre os 10 maiores do mundo neste setor.

Também foi verificado que não havia segurança para projetos eólicos nos contratos de longo prazo. Além disso, os custos com este tipo de tecnologia aumentaram muito. Talvez, este seja um dos motivos para o avanço dos projetos com energia solar no mesmo período. Dos U$ 125 bilhões investidos no Brasil no período, um total de U$ 29 bilhões foi liberado via BNDES.