O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) abriu inquéritos civis para verificar a situação de 19 rodovias do Estado, 16 delas são administradas pelo DER-Departamento de Estradas de Rodagem


Segundo o promotor Laerte Levai, que assina a portaria, o forte impacto causado pelas obras lineares no ambiente natural afeta severamente a fauna. Segundo ele, a criação de um novo ramo de pesquisa acadêmica, a “Ecologia de Estradas” visa a restabelecer o equilíbrio de uma relação desigual, marcada de um lado pelo interesse público nos sistemas de transporte e, de outro, pelo dever e necessidade de respeito ao meio ambiente à vida animal e também humana (não são poucas as mortes de pessoas nas estradas associadas à tentativa de desvio de animais na estrada).

Somente no Estado de São Paulo, milhões de animais silvestres e domésticos perdem a vida todo ano ao tentar cruzar as pistas. Além disso, é promover a conectividade dos remanescentes florestais fragmentados, evitando-se também o isolamento e a intensificação do quadro de extinção de espécies nativas que não transpõem a rodovia. A investigação do Ministério Público aponta como necessárias a construção de passagens de fauna, inferiores ou superiores, a instalação de redutores de velocidade, de lombadas e de cercas de direcionamento, principalmente nos trechos mais críticos das rodovias, dentre outras medidas mitigatórias e preventivas. (MPSP/Ascom)