Uma planta piloto para o tratamento de efluentes industriais está sendo construída em Singapura com uma nova tecnologia para o tratamento de efluentes. O projeto prevê a redução de 90% de resíduos líquidos além de recuperar metais preciosos da água tratada.


A tecnologia adotada foi inventada pelo professor Neal Chung. Ao contrário da membrana de fibra oca típica (com um núcleo oco), a membrana do professor Chung possui três furos ocos o que permite uma taxa de fluxo de água 30% maior.

Quando estiver em pleno funcionamento espera-se que a planta piloto ajude na economia de até 1,6 milhão de litros de água por ano (2/3 de uma piscina olímpica), resultando em uma economia de U$ 250.000 em custos de descarte. O processo opera em temperaturas mais baixas que os sistemas tradicionais. Isto significa mais economia de energia e custo operacional menor.

A planta está sendo construída em conjunto com o Centro de Pesquisa e Tradução Aplicada da “Separation Technologies” (START) e com a Memsift Innovations, uma empresa local que possui sistemas de tratamento de água de descarga. Também fazem parte do projeto a Universidade de Tecnologia de Singapura e o Centro de Inovação Tecnológica e Ambiental da Ngee Ann Polytechnic.