Um projeto financiado pelo governo inglês quer evitar que 1 milhão de tonelada de plásticos rígidos coloridos acabem todos os anos em aterros e usinas de incineração. A proposta é que o pigmento do plástico seja removido sem destruir o polímero criando assim um novo mercado dentro da reciclagem de plástico.


O projeto chama-se Polymet e está sendo gerenciado pela Ecosurety, especialista em pesquisas e mercado. Também participam as empresas Impact Solutions (especialista em inovações na área do plástico), Impact Recycling (comerciante de recicláveis) e a McLaren Plastics (da área de moldagem e injeção de plásticos). O projeto recebeu um aporte inicial de R$ 4 milhões via “Innovate UK”, área do governo inglês para pesquisas.

No Reino Unido, assim como em várias partes do mundo, os plásticos rígidos coloridos (principalmente o preto) são vistos como contaminantes no processo. O pigmento escuro limita a identificação destes plásticos em processos automáticos de triagem.

A tecnologia vai de encontro à uma proposta que ganha força em toda a Europa: O reciclado deverá compor 30% de toda a embalagem plástica comercializada no continente até 2020. Um estudo feito pelo governo inglês revelou que cada 1% de plástico recuperado reduz o seu preço de mercado em 10%. A ideia é ter um material mais barato na região para poder construir uma economia circular. A Ecosurety abriu um chamado local convocando fabricantes e produtores de plásticos para participarem do projeto.