Assim como dezenas de países, a Austrália foi um dos que foram duramente afetados pelas barreiras chinesas de importação de resíduos que passou a vigorar com mais rigor desde o último 23 de agosto. Agora, os australianos estudam uma meta ambiciosa de reduzir em até 80% os resíduos enviados para aterros sanitários até 2030.


Até o final do ano, o Governo da Austrália pretende apresentar ao público um plano que entre as ações incluem: eliminação gradual de plástico; redução pela metade da matéria orgânica enviada ao aterro; reciclagem de até 70% das embalagens plásticas; e 30% de conteúdo reciclado nas embalagens até 2025. Parte destas ações foi apresentado por Melissa Price, ministra do meio ambiente.

Atualmente, a Austrália recupera 58% dos resíduos que produz. Além da reciclagem, o país possui usinas de incineração para queima do lixo. Os australianos levaram dez anos para reduzir em 3% a geração de lixo por habitante.

Neste plano do governo, cada habitante teria quer reduzir 10% em doze anos, ou seja, uma meta pra lá de ambiciosa. Por ano, os australianos geram 64 milhões de toneladas de lixo. O governo da Austrália pensa em seguir algo similar ao colocado pelo governo francês que aplicou diferentes níveis de impostos com base no conteúdo de material reciclado que possui uma embalagem.