Secretarias de meio ambiente de várias cidades do Brasil estão preocupadas com o aumento do número de acidentes envolvendo escorpiões. As autoridades tentam fazer o controle da população de animais, mas pouco se fala das causas do aparecimento.


Apenas na cidade de São Paulo um total de 2.178 escorpiões foram recolhidos de bueiros, pontos de descarte de lixos, residências, entre outros lugares. Entre janeiro e julho, um total de 91 pessoas foram picadas por escorpiões na cidade. Em todo o Estado de São Paulo são 12.800 casos até o momento, segundo a Secretaria de Saúde.O número de acidentes com escorpiões no Brasil aumentaram 36% em 2017 (em relação à 2016) - veja evolução no gráfico. Foram 124.077 casos no ano passado. 

Um dos principais alimentos dos escorpiões em meio urbano são as baratas, estas, por sua vez, são atraídas pelo acúmulo de lixo e entulho. E os principais predadores do escorpião são pequenos macacos, quatis, lagartos, sapos e corujas. E basta uma rápida consulta nestas duas vertentes: falta de saneamento básico e falta de respeito à biodiversidade para concluir que está sendo criado um ambiente ideal para o aparecimento de escorpiões no Brasil.

Prefeituras e Secretarias estaduais de Meio Ambiente em várias regiões estão tentando combater o foco de aparecimento destes animais, mas deveriam se preocupar também com as causas, caso contrário, como diz o ditado popular: “Não adianta querer enxugar gelo”.